segunda-feira, 8 de julho de 2019

Rádios Philco Transglobe - B-459

Philco Transglobe - B-459

Estarei nas próximas postagens atualizando e colocando informações sobre a linha de Rádios Transglobe da Philco, produzidos no Brasil entre as décadas de 50-80, sendo um dos aparelhos mais amados de todos os brasileiros.

Philco Transglobe II ou B-459

São de uma época onde as ondas curtas e AM dominavam o mundo, e como tinham "alcance mundial" sempre foram objetos de desejo pelos amantes do rádio. A construção sempre foi robusta e os primeiros são tidos como rádios de mesa, apesar das últimas versões terem um apelo mais portátil (mesmo com peso acima dos 5 kg).

Seus circuitos são relativamente simples e sem muitos recursos ou complexidades. Talvez por isso caíram no gosto de seus usuários, pois eram robustos e facilmente reparados pelos técnicos da época. Os primeiros utilizavam transistores de germânio e posteriormente foram sendo substituídos pelos de silício.

Philco Transglobe - Detalhe do logo

Uma parte da história, do que se tem conhecimento, com a linha Transglobe iniciou na década de 50 com os modelos B-457, B-458, B-466 e B-467 como também pode ser visto no site de um dos maiores colecionadores deste modelo (Michel Viani - site www.transglobe.com.br).

Estes modelos tinham caixa de madeira e eram muito robustos. Posteriormente temos o modelo B-459 (final da década de 50), também conhecido como Transglobe II e é sobre este modelo que iremos falar hoje.

Detalhe da tampa frontal onde fica preso o manual

Tive oportunidade de ter dois modelos do B-459, um com acabamento preto (mais comum) e o outro com acabamento bege (mais raro).

O rádio possui 6 faixas de onda:
  1. Ondas Médias (AM)                  540 a 1.600 kHz
  2. Ondas Tropicais                      2.300 a 7.200 kHz
  3. Ondas Curtas                          7.200 a 22.000 kHz
  4. Faixa Ampliada 31 mts          9.400 a 10.000 kHz
  5. Faixa Ampliada 25 mts        11.400 a 12.700 kHz
  6. Faixa Ampliada 19-16 mts   15.000 a 18.000 kHz
6 Faixas de Onda e detalhes dos botões

Este modelo usa 8 transistores de germânio PNP num circuito super-heterodino bastante comum para a época e empregado por outras fabricantes, como a Zenith com seus Trans-Oceanic. Abaixo deixo um link com o manual de serviço do mesmo, que infelizmente muitas pessoas comercializam, mesmo estando disponível na internet.

Manual de Serviço do B-459

O rádio tem uma tampa frontal que pode (e deve) ser removida durante as escutas. Na parte traseira a tampa também pode ser aberta, onde se tem acesso ao compartimento de pilhas (utiliza 6 grandes - 9V) e também tem a entrada de antena, inclusive o modelo "roto-antena" que é um sistema de fio que pode ser desenrolado permitindo uma melhor recepção das ondas curtas.

Detalhe da roto antena, suporte de pilhas e parte interna

Também temos acesso ao terminal de aterramento e chave para escolher qual antena será usada. O rádio tem antena telescópica de 8 segmentos (muito robusta) e para a faixa de ondas médias o rádio utiliza uma ferrite interna que proporciona ótimas escutas.

O som é agradável e é reproduzido num alto-falante de 6 polegadas. Na parte frontal também ficam os controles de liga-desliga/volume, de tom (graves/agudos), troca de faixa e de sintonia.

Vista Traseira Interna - antena de ferrite na parte superior e telescópica na lateral esquerda

O dial é grande assim como o ponteiro, e nele tem nomes de várias cidades, uma prática comum na época dos rádios de ondas curtas para facilitar a procura pelas emissoras e fazer valer a pena o nome "Transglobe".

Detalhe do dial com os nomes de cidades

As fotos são do meu B-459 que está sem a alça superior que "facilitava seu carregamento". Dentro do rádio ainda temos uma etiqueta onde podem ser anotados o nome do proprietário, outra prática comum em rádios da época.

Detalhe da Etiqueta de propriedade e da parte interna. Os componentes ficam na parte de baixo do chassi.
Na próxima postagem estaremos falando de outros modelos de Transglobe, como o B-470 precursor da série que tornou famoso o estilo de rádio portátil na época.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

Construindo um clássico!! Apple 1 - Parte 8 - ACI

A "ACI" ou Apple Cassete Interface nada mais é do que uma placa adaptadora para você conectar um cassete recorder e poder ler os programas que eram armazenados em fita.

Esse era o meio mais barato na época (fitas cassetes) para armazenar dados em computadores antigos. O disquete já existia, mas os drives eram caríssimos, e HD era algo utilizado somente por servidores em grandes empresas.

Assim, eles desenvolveram esta placa para ligar o Apple 1 a um cassete recorder e poder ler e gravar dados e programas.

Eu comprei este placa do Corey - que me ajudou no grupo Apple Fritter com a solução do problema que estava tendo ao iniciar o A1. Esta era a última placa que ele tinha, e após negociarmos preço e envio, recebi até rápido (cerca de 15 dias).

Placa ACI sem componentes

Placa ACI sem componentes
Esta placa é enviada pronta para receber os componentes, que são comuns (alguns resistores, dois transistores, 3 TTL´s, etc., mas também utilizam PROM´s que o Corey enviou junto no pacote.

Iniciei com a soldagem dos soquetes e em 10 minutos a primeira fase estava pronta, e também aproveitei para soldar demais componentes e deixar tudo pronto. Só ficou faltando um TTL - 7410 ou 74LS10 que eu não tinha, mas já encomendei.

Placa com os soquete soldados

Verso da placa com a solda dos soquetes
 Abaixo fotos da placa montada com todos os componentes (faltando inserir os CI´s).

Sobre os conectores de áudio (2) não é fácil de encontrar um modelo próximo do original, que era aberto e com os conectores expostos. Então adquiri estes que aparecem abaixo e olhando a placa pelo lado dos componentes ficou bacana.

Placa com os componentes soldados - Faltam inserir os CI´s
Olhando pela parte de baixo, este tipo mais moderno é fechado com um invólucro plástico que dá sustentação. Resolvi deixar assim, e se encontrar mais adiante modelos mais próximos dos originais eu substituo.

Estes conectores você liga plug´s em cada um e conecta no gravador de cassete, sendo um na entrada (microfone) e outro na saída de fone. Com isso você consegue ler e gravar diretamente na fita cassete.

Atualmente você pode ler até de um Ipod / Iphone utilizando um cabo e um programinha que emula um gravador cassete. Super prático. Quando testar quero ver se consigo fazer rodar e posto aqui como funciona.

Detalhe dos conectores de áudio

Mais uma fase concluída, e depois adiciono uma foto de tudo montado. Os CI´s de memória do A1 ainda nem chegaram ao Brasil, e estou no aguardo.

Até a próxima!

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Construindo um clássico!! Apple 1 - Parte 7

Atualização rápida.

Recebi o conector edge dos EUA, encaixou perfeitamente e já soldei na placa.

Recebi também a placa da ACI (conecta um gravador K7 no Apple I) do Corey. Veio super rápido e direto, sem cobrança adicionais. Agora estou procurando alguns componentes que faltam, entre eles um TTL 74LS10 (simples) e os transistor MPF3704 (que já tive dificuldade em conseguir - utilizado na saída de vídeo do A1).

A decepção desta vez ficou por conta das memórias MK4096. No passado (idos de 2013/2014) eu comprei no Ebay 16 memórias utilizadas no A1 e nunca tinha nem aberto o pacote. Para minha surpresa, elas são 4096 mas na quantidade de bytes de memória, não no modelo (kkkkkkk). Enfim, são maiores na pinagem, não bate nada com nada e tive que voltar a caça.

Encontrei no ML em SP 26 memórias Mostek MK4096 (originais!) e efetuei a compra. Recebi essa semana... nenhuma funcionou (testei com o testador do Trucco). Todas com defeito e irei devolver. Estas memórias são suscetíveis a estática e provavelmente por terem ficado tanto tempo guardadas, já eram.

No Brasil não tem outras opções. No Ebay tem uns malucos vendendo as originais por uma fortuna, e então parti para as MK4027 também da Mostek e produzidas no mesmo período das 4096 (além de totalmente compatíveis). Comprei 20 por U$38 mas tive que enviar para meu endereço nos EUA para redespachar, já que o vendedor não enviava ao Brasil, mas garantiu o funcionamento.

Mostek MK4027 em substituição as MK4096

Agora é esperar mais 30-60 dias até chegar. Até lá não há o que fazer para continuar os testes, já que as memórias são primordiais para a próxima fase. Todos os demais componentes já estão na placa.

Nos próximos dias vou iniciar a montagem da ACI e posto fotos aqui. Até a próxima.